sexta-feira, 4 de outubro de 2013

cavala






         Outro dia li uma revistinha publicitária de uma ong que cuidava de animais abandonados, onde os astros eram alguns animais resgatados, que tinham suas fotos e histórias tristes em destaque. A maioria era formada por cachorros e gatos que escaparam da morte por causa do louvável trabalho dessa organização, porém, o que me chamou mais a atenção foi uma égua que foi batizada pela ong de Manca.

          Manca teve uma vida muito difícil, segundo o tal folheto, a pobre trabalhava além da sua capacidade, carregando peso o tempo inteiro, sob chicotadas, esporas, estribos e arreios apertados naquele corpo fedorento. Apesar do seu sofrimento, seu dono resolveu abandoná-la numa praça pública, depois que a azarada égua fora atropelada e ficou manca. Como se não bastasse, ainda dizia no folheto que um grupo de jovens passou a estuprá-la rotineiramente. 

        Longe de querer desrespeitar o sofrimento da égua, eu até continuaria no clima sofrido e infeliz que o panfleto sugeria, se não fosse pela informação (desnecessária) do estupro, que me levou a uma série de dúvidas. Fiquei intrigado tentando imaginar o que despertou nos taradões essa atração por Manca. Teria sido seu traseiro "animal"? ou dificuldade com as mulheres? curiosidade? lembrança de vidas equinas passadas? fetiche? amor? sexo sem compromisso? ...

       Se um único pervertido já é estranho, o que dizer de um grupo com a mesma intenção maluca de praticar essa bestialidade?  Ainda que seja formado por adolescentes, moradores de rua ou viciados em drogas - acredito que seja mais provável o grupo com esse perfil, embora não exclua possibilidade de  políticos, artistas, empresários, leitores de blogs e seus parentes também serem adeptos - é bem bizarro.

        A aberração não estava só no ato em si, mas no fato de Manca ser pobre, analfabeta, moradora de rua, manca e égua como Deus quis que fosse. Mas também, no fato de, contra todas as possibilidades, conseguir mais parceiros humanos do que muitas humanas solteiras e ainda ter mais relações do que muitas casadas.

         Não menos importante é a pergunta: O que prende esses homens a essa pangaré que espanta as moscas com o rabo? O que tem de especial pra se tornar "rotineiramente"? Imagino ser uma fonte de prazer inexplicável que faz com que o parceiro transforme a vergonha de só conseguir transar com a égua, para orgulho de ser digno de conseguir transar com A ÉGUA. 

        Qual será o seu segredo? Quais delícias Manca possui?

       Sofrimento a égua teve mais com seu antigo dono. Com os rapazes, o que se pode chamar de sofrimento, fica por conta da frustração dela por não ter dentre os seus namorados um "cavalo" que não fizesse só cócegas.

        Ah, e como se come uma égua numa praça pública sem ninguém ver?



2 comentários:

Ramon Travezani disse...

Rsrs! Pessoal pegou pesado heim! Tadinha da manca, ou não!

baltazar disse...

Oi, só estou deixando esse comentário
pra te incentivar a fazer o mesmo, porque é fácil, rápido e eu vou gostar muito de saber o que você achou.
Então, COMENTA logo.